Toninho de Souza deixa base de sustentação de Emanuel na Câmara de Cuiabá e vai assinar CPI do Paletó

Enfatizando o compromisso de ter sido o mais votado em 2016,  o vereador Toninho de Souza (PSB) anunciou sua decisão de deixar a base de sustentação do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) e, assim, ficar livre para se tornar a nona assinatura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó. Ele observou nesta terça-feira (7), durante sessão ordinária, que o chefe do Poder Executivo da Capital teve tempo suficiente para prestar explicações [desde 24 de agosto], mas confundiu defesa jurídica perante o Ministério Público Federal e o Poder Judiciário com o necessário esclarecimento aos munícipes.

O comunicado foi feito ao líder do Executivo na Câmara, vereador Lilo Pinheiro (PRP). Depois, às 15 horas, no Palácio Alencastro, Toninho tem agenda téte-a-téte com o próprio Emanuel Pinheiro para explicar suas razões.

“Eu tinha posição de independência. Meu partido tomou a decisão de apoiar a gestão Emanuel Pinheiro. Mas com toda a liberdade do mandato eu tomo a posição de estar independente, na Câmara Municipal, para poder cobrar com maior ênfase a prestação de serviços da Prefeitura Municipal”, afirmou Toninho, ao justificar sua decisão de deixar a bancada governista.

O vereador do PSD lembrou que a Câmara de Cuiabá está travada por um problema que é do Executivo, mas que acabou ‘contaminando’ o Legislativo, perante a opinião pública. “Cada um tem que tratar daquilo que lhe cabe. Jogar uma bomba na Câmara Municipal, que não tem nada a ver com isso é doloroso… A Câmara possui, hoje, um desgaste maior que o próprio prefeito Emanuel Pinheiro”, avaliou o parlamentar do PSD.

A sua tese é de que o desgaste do prefeito contaminou os vereadores. “Questiono: tem algum vereador que foi flagrado recebendo dinheiro? Tem algum vereador que fez parte de delação do ex-governador Silval Barbosa? Não existe isso! A Câmara ficou aguardando a manifestação do prefeito e absorveu todo o seu desgaste. É transferido em maior peso para Câmara. Isso não pode”, argumentou Toninho de Souza.

Para o vereador do PSD, Emanuel Pinheiro não pode se queixar de falta de paciência do Poder Legislativo. “Nós demos todo o tempo necessário para que o prefeito pudesse dar a sua explicação. Não houve explicação! E houve fatos novos [busca e apreensão na casa de Emanuel]. E até agora continua sem a sua devida explicação. A investigação [da CPI] não significa crucificar o prefeito, mas dar a ele oportunidade de ter conversa franca com a população”, sintetizou Toninho, que passa a ser a nona assinatura na CPI do Paletó.

O vereador Felipe Wellaton (PV), um dos co-autores do requerimento da CPI, disse que só vai contar com a assinatura de Toninho quando estiver no papel. “O importante é que a população saiba a verdade. Não é surpresa a assinatura do Toninho. Visto que o prefeito Emanuel Pinheiro não se posicionou quanto aos fatos da delação do ex-governador Silval Barbosa e os vídeos divulgados, em nível nacional. Mas só acredito quando a assinatura estiver no papel e o requerimento de CPI aberto”, afirmou Wellaton.

 

FONTE: Olhar Direto

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *